GIC – Gabinete de Intervenção comunitária

 O Gabinete de Intervenção Comunitária é um projeto social  promovido pelo Centro Social Paroquial de Santo António de Campelos, que conta com o apoio da Junta de Freguesia.

O Gabinte encontra-se a funcionar na Creche do Menino Jesus, na Rua da moleira em Campelos.

Telefone: 261438611

 Visa a intervenção e o apoio psico-social das famílias que se encontram expostas a fatores de risco.

  • Equipa:

Técnica Superior de Sociologia

Técnica Superior de Psicopedagogia

Técnica Superior de Educação Social

  • Parceiros:

Junta de Freguesia, Associação de Solidariedade e de Socorros de Campelos, Associação de Socorros do Outeiro da Cabeça, GNR, Agrupamento de Escolas Padre Vitor Melicias, Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira, Centro de Saúde

  •  Intervenção desenvolvida:

Atendimento Social na IPSS ou na Junta de Freguesia

Acompanhamento/auxílio a famílias que necessitem de apoio para a resolução de problemas;

Promoção de competências parentais, pessoais e sociais;

Mediação e orientação familiar;

Apoio na procura ativa de Emprego (Ações de Formação/Workshops)

Encaminhamento para outras entidades competentes;

Cantina Social;

Programa alimentar da Segurança Social Fundo Europeu Auxílio Carenciados

RLIS – Rede Local de Intervenção Social

  • Horário de Atendimento em Campelos
    3a feira: 09h30 às 12h00 (exceto à quarta semana de cada mês)

Rua Manuel Damas Antunes no19, 2565-071 Campelos

  • Horário de Atendimento em Outeiro da Cabeça
    5a feira: 15h00 às 16h30 (à quarta semana de cada mês)

Rua da Estação no49, 2565-600 Outeiro da Cabeça

  • Telefone para marcar atendimentos 
    261 332 534
  • Equipa Técnica

Coordenadora de Equipa

Técnica Superior de Serviço Social

Técnica Superior de Psicologia

Técnica Superior de Educação Social

  • O que é a RLIS?

Assenta numa lógica de intervenção articulada e integrada de entidades com responsabilidade no desenvolvimento de ação social.
Visa potenciar uma atuação concertada dos diversos organismos e entidades envolvidas para garantir o interesse público. Promove a implementação de novos mecanismos de atuação e diferentes estratégias de ação em resposta às necessidades sociais.

  • O que é o SAAS?

O SAAS é um Serviço de Atendimento e Acompanhamento Social de pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade e exclusão social, bem como de emergência social.

O SAAS consiste num atendimento de primeira linha que responde eficazmente às situações de crise e/ou de emergência social, bem como um acompanhamento social destinado a assegurar o apoio técnico tendo em vista a prevenção e resolução de problemas sociais.

  • Atividades desenvolvidas pelo SAAS

Atendimento, informação e orientação de cada pessoa e família.

Informação detalhada sobre a forma de acesso a recursos, equipamentos e serviços.

Avaliação e diagnóstico social.

Atribuição de prestações de caráter eventual com finalidade de colmatar situações de emergência social e de comprovada carência económica.

Planeamento e organização da intervenção social.

Contratualização no âmbito da intervenção social.

Coordenação e avaliação da execução das ações contratualizadas.

  • População Alvo

Pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade e exclusão social, bem como de emergência social.
(excetuam-se as situações devidas a catástrofes naturais, calamidades públicas ou outras ocorrências cobertas por legislação especifica).

  • Quem pode solicitar o acesso ao SAAS?

A própria pessoa;

Comunidade informal (ex: redes de vizinhança);

Comunidade institucional (ex: Segurança Social, Centro de Saúde, Escolas).

Fisioterapia Paliativa

A implementação do projeto de fisioterapia paliativa «humanizar o fim de vida», resulta da concertação entre a entidade promotora (Associação de Solidariedade e Ação Social de Ponte do Rol) autarquias locais (município e freguesias), instituições particulares de solidariedade social e organismo do SNS (centro hospitalar do Oeste).

O projeto de fisioterapia paliativa «humanizar o fim de vida», desenvolvido desde janeiro de 2012 é um projeto inovador no concelho de Torres Vedras e a nível nacional.

Enquadra-se no Eixo 3 do Plano de Desenvolvimento Social da Rede Social de Torres Vedras, que prevê a necessidade de implementar uma equipa de suporte comunitário em cuidados paliativos, sendo necessário diferenciar e melhorar as respostas de apoio domiciliário e complementar a resposta da saúde pública na comunidade relativamente a doentes com doença crónica avançada, irreversível, evolutiva, prolongada e terminal e que a longo prazo são geradoras de um sofrimento físico, social, familiar e social muito elevado.

A fisioterapia paliativa é uma terapêutica não farmacológica que constitui uma componente importante dos cuidados paliativos e permite em conjunto com outras técnicas a não agudização e ou, a melhoria dos sintomas agudos associados à doença, permitindo, que a dependência do doente paliativo passe a ser assistida e mais próxima dos cuidados de saúde já existentes no âmbito do Sistema Nacional de Saúde.

Quem pode usufruir deste servico?

Pessoa doente, numa condição de doença crónica, progressiva e terminal no domicílio.

Para que doentes?

  • Doentes com pouca ou nenhuma mobilidade; • Descontrolo da dor física e dor óssea;
  • Dispneia (falta de ar);
  • Disfagia (perda da deglutição);
  • Caquexia (magreza extrema e corpo em posição fetal);
  • Delirium (desorientação espacial, cognitiva e sensorial);
  • Acompanhamento do doente e família no sofrimento que se associa à evolução da doença e fim de vida.

Como pode usufruir deste serviço?

Dirija-se à Junta de Freguesia da sua zona de residência e/ou se o seu familiar é cliente do Apoio Domiciliário, contacte a Assistente Social da Instituição de Solidariedade Social.

Entidades Parceiras Financiadoras/Sinalizadoras

  • Câmara Municipal de Torres Vedras
  • Freguesia da Freiria
  • Freguesia de Ponte do Rol
  • Freguesia do Ramalhal
  • Freguesia de São Pedro da Cadeira
  • Freguesia da Silveira
  • Freguesia do Turcifal
  • Freguesia da Ventosa
  • União de Freguesias de A-dos-Cunhados e Maceira
  • União de Freguesias de Campelos e Outeiro da Cabeça
  • União de Freguesias de Carvoeira e Carmões
  • União de freguesias de Dois Portos e Runa
  • União de Freguesias de Maxial e Monte Redondo
  • União de Freguesias de Torres Vedras (S. Pedro e Santiago, Santa Maria e S. Miguel e Matacães)

Entidades Parceiras Sinalizadoras

  • Assoc. de Socorros da Freguesia de Dois Portos
  • Assoc. de Socorros do Outeiro da Cabeça
  • Assoc. de Socorros da Freguesia do Turcifal
  • Assoc. de Solidariedade e Ação Social de Matacães
  • Assoc. de Solidariedade e Ação Social de S. Mamede da Ventosa Assoc. de Solidariedade Social e de Socorros de Campelos
  • Casa do Povo do Maxial
  • Casa do Povo do Ramalhal
  • Casa do Povo de Runa
  • Casa do Povo da freguesia da Freiria
  • Centro de Acolhimento de S. Pedro
  • Centro Social e Paroquial da Silveira
  • Centro Social Paroquial Nossa Sra. Da Luz – Paradas Centro Social e Paroquial de Torres Vedras
  • Centro Social Recreativo e Cultural da Maceira Fundação Lar S. Francisco Varatojo
  • Lar de S. José – Fundação de Solidariedade Social Santa casa da Misericórdia de Torres Vedras
  • Centro Hospitalar do Oeste

Comissão Social Inter freguesias do Interior